UM RIO DE VIDA

UM RIO DE VIDA

No último e mais importante dia da festa, Jesus levantou-se e disse em alta voz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva”. Ele estava se referindo ao Espírito, que mais tarde receberiam os que nele cressem. Até então o Espírito ainda não tinha sido dado, pois Jesus ainda não fora glorificado. João 7:37-39

Quando um discípulo crê em Jesus, do seu interior nascerá e fluirá a água viva.  O discípulo se satisfará e se alegrará nesta fonte de vida, mas o discípulo sabe que a água viva que jorra não é somente para ele.

Como discípulos sabemos que a água viva que jorra em nós e sai de nós como um rio é para outras pessoas que Jesus quer amar como Ele nos amou.

Observe a vida e ação de um rio. A partir do momento do seu nascimento na fonte original o rio se movimenta sem se importar com que tipo de terreno ou recepção está pela frente.  A única opção para o rio é se mover e ir na direção escolhido por ele. Não importa que tipo de recepção o aguarda, o rio avança com vida e para dar vida.

O rio se movimenta porque a sua fonte se move sem parar. O rio é prova que a fonte existe, onde poucas pessoas vão ver. Quando o rio se move é impossível ignorar esse movimento.

Vários rios cruzam a grande metrópole de São Paulo. Mais de 18 milhões de pessoas tem algum contato com estes rios e todos estes rios dão a sua vida e em troca recebem maus tratos.  Mas, o rio que parece sofrer mais se chama Tietê. Ao passar por São Paulo, vê-lo ou sentir o odor desse rio, a sensação é que ele está morto.

O rio Tietê passa por todo tipo de maus tratos mas insiste em se mover porque a sua fonte nunca para de se mover com vida.  Cem quilômetros depois de passar por São Paulo o rio Tietê mostra de novo as suas águas limpas e sua generosidade. Ele não morreu!

O rio vence os maus tratos porque a fonte vence primeiro. O rio vence porque não para de ser generoso.  O rio não pede nada por onde passaEle deixa vida e só quer se mover na direção do seu destino final.

É assim com todo discípulo que crê em Jesus.  Somos nascidos pela fé em Jesus e Ele nos move na direção de lugares onde não há Sua vida.  Não paramos de lutar porque o amor não pode parar. O amor se move e se doa no fluir da jornada.

O discípulo é um rio de vida que sempre se move porque Jesus sempre se move como o amor do Pai. E agora este amor se move em nós.

Carlos McCord
Presidente do Ministério Permanecer

Deixe uma resposta