Receptividade e Gratidão

A partir do momento da nossa concepção somos o que recebemos sem mérito algum.  Chegamos neste mundo sem ter decidido nada, sustentado nada e feito nada.  Ao chegar, o nosso único feito foi receber bem.  Assim todos chegamos.

O que somos biologicamente no momento da nossa concepção é o melhor DNA das pessoas que nos conceberam.  Logo começamos a viver a experiência da pessoa que chamamos de “eu” sem ser a fonte ou sustentação de nada que nos permite viver.

Experimentamos desde o início um mundo que nos oferece ar, água, comida e tantas outras coisas que não produzimos ou mantemos.  Alguém nos ofereceu  apoio diário para poder chegar neste momento de ler este trecho.  Somos todos fruto de apoio de coisas e pessoas sem as quais não poderíamos existir.

Não reconhecer e agradecer o apoio de coisas e pessoas na nossa existência é  pecar contra a realidade que permitiu a nossa presença aqui.  E o fruto desta falta de gratidão é a incapacidade de amar quem nos apoiou e quem precisa do nosso apoio.  E não amar é o pecado principal da humanidade.

Onde uma sociedade não manifesta gratidão a qualidade de relacionamentos tende para o caos.  Quando o amor para entre nós, no fundo sempre existe falta de gratidão pelo apoio recebido sem mérito nosso.

Não importa que visão da realidade adotamos, é impossível justificar a ausência de  gratidão.

Uma sociedade que não incentiva e cobra gratidão de todos vai morrer.  Sem a gratidão tudo vai na direção da morte mas Deus quer que a gente viva.

Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus. I Tess. 5:18

Carlos McCord

Presidente do Ministério Permanecer

Deixe uma resposta