Mas Livra-Nos Do Mal

 

 

Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.

Mateus 6:12-13

 

Certa vez Jesus disse aos seus discípulos que eles eram “maus”.

 

Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai de vocês, que está nos céus,

dará coisas boas aos que lhe pedirem!

Mateus 7:11

 

Ele não falou assim para ofendê-los. Ele falou para ajuda-los a compreender que todo ser humano tem um problema fundamental. Somos “maus”.

 

O que quer dizer ser descrito assim? Significa que todos nós em determinados momentos cooperamos com aquilo que é mal. Assim, todos nós impedimos o fluir do amor divino. Quem impede o fluir do amor de Deus é “mau”.

 

Vamos descrever maldade como qualquer interferência com o fluir do amor de Deus. Não existe nada mais grave do que impedir que o amor de Deus chegue onde deve chegar.

 

Quem é culpado de impedir o fluir do amor Divino cria o que Jesus chamou de uma dívida. Quando eu impeço que alguém receba o amor Divino que ela deveria receber, eu sou responsável por esta dívida. E todos nós somos devedores. Todos nós somos maldosos. Todos nós impedimos o fluir do amor divino.

 

A maldade se apresenta no meio do fluir da história humana como uma poluição espiritual e o meio ambiente de relações humanas está tão poluído que estamos matando o amor entre nós Somente Deus em Jesus Cristo pode nos perdoar das nossas dívidas e nos levar a cooperar com o fluir do amor. Somente Jesus transforma pessoas maldosas em “santos”.

 

Cada discípulo de Jesus vivendo no Espírito (na fonte limpa) pode ser uma nascente de amor limpa e pura! Se crermos em Jesus podemos fazer a nossa parte de vencer a poluição espiritual que está matando relacionamentos humanos.

 

Jesus veio perdoar e despoluir a humanidade. Maldade tem os seus dias limitados porque Deus não pode aceitar a maldade. Graças a Deus pela fonte limpa que Jesus é em nós pelo Espirito. Sem esta fonte nunca poderíamos dizer que somos “santos.”.
 

 

Carlos McCord

Presidente do Ministério Permanecer

Deixe uma resposta